Umbanda Tradicional

Para compreender as sete linhas da Umbanda é importante explicar como funciona a Umbanda Tradicional.

A Umbanda teve um processo de formação, fundamentando-se nos seguintes conceitos:

- Existe uma força superior denominada Zambi ou Olorum, fonte universal criadora, o principio e o fim. A partir dele, surgem as demais divindades. Nesse âmbito, existem os anjos, os orixás e os guias que por meio da mediunidade dos homens estabelecem contato com o plano físico no intuito de manter o equilíbrio e auxiliar a evolução espiritual.

- Os Orixás são divindades que estão um pouco abaixo da Força Suprema, representam elementos da natureza e interagem com os seres humanos no intuito de manter a evolução da cada indivíduo e sua relação com o planeta em que vivemos. É a representação mais pura da natureza e dos elementos naturais. Possuem traços de personalidade e humanidade, orientando as entidades e guias no trabalho exercido na Umbanda. A partir deles surge a concepção das sete linhas.

- Os anjos são figuras sagradas, seres abençoados que servem ao propósito de vigiar o plano físico e intervir somente por ordem direta de Deus. No catolicismo, eles são figuras aladas, puras e assexuadas. Essa maneira de vê-los também foi adotada pela Umbanda, que habitualmente recorre aos Arcanjos e Potestades como Miguel, Rafael entre outros.

- Os guias e entidades são espíritos que visam cumprir uma determinada missão espiritual. Há aqueles com maior ou menor grau de evolução espiritual, pois no processo espiritualista, dar algo sem receber desiquilibra a balança enérgica. Ao associar-se a um médium, o espírito recebe a chance dele mesmo evoluir por meio dos trabalhos realizados, ajudando também aos médiuns e aqueles que recorreram ao auxílio.

- Os espíritos, que de maneira geral, podem atuar no plano físico, são capazes de emanar energias positivas, como também pode contribuir negativamente sugando a energia.

- A Umbanda prega a reencarnação. Os adeptos creem que exista um ciclo natural de nascimento, vida-morte e renascimento. São necessárias várias existências para alcançar o equilíbrio do corpo, da mente e do espírito. Alcançando esse equilíbrio, a espiritualidade abre-se em inúmeros planos, o ser sublimado e transcendente então evolui.

- A lei do equilíbrio ou da ação e reação é um outro ponto fundamental na Umbanda. Para entender essa lei, em primeiro lugar, é essencial entender a premissa da reencarnação, pois ela rege o equilíbrio entre as ações e reações que cada pessoa gera quando evolui. Ou seja, tudo o que fazemos, toda ação que realizamos gera uma reação, de igual força e em sentido contrário.

- O praticante da Umbanda crê na utilização da mediunidade em todas as suas formas: incorporação, audiência, vidência, clarividência, uso de oráculos, psicografia e percepções extra-sensoriais.

- Na Umbanda o plano físico serve de aprendizado, bem como o plano espiritual para chegar à plenitude da existência.

Acima de tudo os umbandistas creem que todos esses conceitos se manifestam por um motivo que pode ser resumido em: amor, humildade, caridade e fé.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!