Cantigas das Almas

Ele é poderoso, ele é soberano, sarava Umbanda, sarava São Cipriano. (2x)

Na Umbanda eu sou coroado, de São Cipriano eu sou afilhado. (2x)

 

Eu adorei as Almas, eu adorei. (2x)

Eu adorei as almas no dia de hoje.

Eu adorei as Almas. (repetir)

 

Eu andava perambulando, sem ter nada pra comer.

Vou pedir as Santas Almas ,para vir me socorrer. ( 2x)

Foi as Almas que me ajudou, foi as Almas que me ajudou.

Meu divino Espírito Santo louvo a Deus Nosso Senhor. (2x)

 

As almas dá, as Almas dá.

As Almas dá para quem sabe aproveitar. (2x)

E quem não sabe aproveitar, as almas torna a tirar. (2x)

 

Vou pedir um louvor, a Senhora Maria. (2x)

As Almas pedem uma Ave Maria. (2x)

Ave Maria cheia de grassa, o Senhor é convosco, bendita sois vós, entre as mulheres, bendito é o fruto do vosso ventre, nasceu Jesus.

  

Ki ô, minhas Almas. Venha me ajudar. (2x)

Eu vou pedir as minhas Almas, venha me ajudar.

Ki ô minhas Almas, venha me ajudar.

 

Nego Velho dono da cangira, São Miguel das Almas mandou lhe chamar. (2x)

Quero ver o Velho descer, quero ver o Velho chegar. (2x)

 

Trabalha Nego Velho, trabalha. Trabalha e não tenha medo. (2x)

Nesta casa de Pai Osala, ô Nego Velho, trabalha e não tenha medo. (2x)

 

O barquinho de São Salvador, veio da Bahia tão carregado. (2x)

Trouxe cravo, trouxe rosa, e o Preto Velho que veio do lado. (2x)

Congo, Rei de Congo, firma ponto no gongá. Congo,Rei de Congo, vem aqui nos ajudar. (2x)

 

Pisa na linha de Congo, é Congo, é Congo aruê.

Quem trabalha na linha de Congo, agora que eu quero ver. (2x)

É Congo,é Congo. É congo aruê. É Congo, é Congo. É Congo aruá. (2x)

 

Congo com Canbinda vão descer pra trabalhar.

Congo vem por terra, Cambinda por beira – mar. (2x)

É Congo, é Congo, é Congo. É Congo, é Congo aruê.

Quem trabalha na linha de Congo, agora que eu quero ver. (2x)

É Congo, é Congo, é Congo aruê. É Congo, é Congo, é Congo aruá. (2x)

 

Vai Congo velho, vai buscar quem mora longe,

Vai Congo velho, vai buscar quem mora longe. (2x)

Eu sempre te avisei que não era noite, não era dia.

Cuidado Maria, com a virada da bacia.

Cuidado Maria, com a virada da bacia.

 

Congo ê, Congo ê. Congo diz pra sarava.

Congo diz pra sarava, segura seus filhos que Deus é maior. (2x)

 

Meu cativeiro, meu cati-cativerá. (2x)

Nego Velho saiu da senzala, nos pés de Osala , esta a rezar. (2x)

Licença yoyô, licença yayà.

Nego Velho saiu da senzala, nos pés de Osala , esta a rezar. (2x)

 

Cachimbo esta no toco, manda moleque buscar. (2x)

No alto da derrubada, o cachimbo estava lá. (2x)

 

Bahia, ô Africa, vem cá vem nos ajudar. (2x)

Força baiana, força africana, força divina, vem cá vem cá. (2x)

 

Na Bahia sim é que tem orobi, que tem orobô. (2x)

Que tem orobi, que tem orobô. Pimenta da costa, macumba yoyô. (2x)

 

Lá na Bahia corre água sem chover. (2x)

Se a água do coco é doce eu também quero beber. (2x)

 

Pai Joaquim, cadê Pai Mané. Foi no mato catar guiné. (2x)

Diga a ele, quando vier, que suba as escadas e não bata com os pés. (2x)

 

Pai Joaquim ê ê, Pai Joaquim ê á. Pai Joaquim veio de Angola, Pai Joaquim vem de Angola, Angola, ô. (2x)

 

O Preto Velho é um negro feiticeiro, se não fosse o Preto Velho, não acabava o cativeiro. (2x)

Segura a banda, segura a banda, segura a banda, Preto Velho é de Aruanda. (2x)

 

Geremias é Preto Velho, cansado de trabalhar.

Quando a maré esta cheia vai descarregar no mar. (2x)

Olha lá Geremias, olha lá. Olha lá Geremias, olha lá.

Olha lá Geremias na linha de Congo, olha lá Geremias. (2x)

 

Segura o touro Cambinda, amarra ele no morão.

Esse touro é brabo Cambinda, não deixa fugir não.(2x)

Meu Santo Antonio pequenino, aê aia, me abreas portas do céu.

Aê, aia. Caiu no laço e estremeceu aê. E não caiu no mundéu. 

 

Lá no cruzeiro das Almas, a onde as Almas vão rezar. (2x)

As Almas choram de alegria quando os filhos se combinam

Também choram de tristeza quando não quer combinar. (2x)

 

Lá no cruzeiro das Almas, eu vi uma velhinha rezando. (2x)

Era Vovó Luiza meus irmãos, com o seu rozario rezando. (2x)

 

Vovó Catarina só, toa café e não me dá. (repetir)

 

Maria Conga, é que vence demanda. (2x)

No seu terreiro ela diz que tem mironga. (2x)

 

Riscou a sua ponto uma velha feiticeira. (2X)

Na cadeira de palha na beira do cariri.

Ela chegou ô, trouxe alegria, Cambinda velha feiticeira da Bahia.(2x)

 

É preto é preto ô calunga.

Todo mudo é preto ô calunga.

Na gira de preto ô calunga.

Eu também sou preto ô calunga. (2x)

Ô gira boa calunga, pisa na linha de Congo o calunga. (2x)

 

Chora meu cativero, ô meu cativeiro, meu cativerá. (4x)

No tempo da escravidão, quando o senhor me batia, eu rezava pra Nossa Senhora, ô como a pancada doía.

Chora meu cativero, ô meu cativeiro, meu cativerá. (4x)

No tempo que eu tinha mãe, eu comia em prato cheio. Mas agora eu não tenho mãe, eu como o prato pelo meio.

Chora meu cativero, ô meu cativeiro, meu cativerá. (4x)

 

Lá no oriente aonde o sol é quente, aonde nasce a lua. (2x)

Lá no oriente, na linha das Almas

Não despreze as Almas que o Velho Congo chora. (2x)

 

Formiguinha de Angola sinhá, como fuma cachimbo sinhá. (repetir)

 

Quando a lua sair, ele vai girar. (2x)

Ele vai caçar tatu na calunga e tamanduá. (2x)

Ô cavaca murundu, que o tatu ta ai mesmo. (4x)

 

Orixá, Orixá, lá na ilha do dendê. (2x)

Ô vai chamar mamãe Osun, pra ti salvar Obaluaye. (2x)

 

Lá no céu tem sete estrelas, sete cinco Salomão. (2x)

O que você pedir pra ele, ele não vai dizer que não. (2x)

 

Meu senhor da senzala, meu sinhozinho, ele vem cansado, meu pai Joaquim. (2x)

Um grito de liberdade, negro ecoou quando Osala.

Recebeu toda a paz pela humildade, hoje ele nos traz a caridade.

Luanda, ô Luanda. Como é tão lindo Pai Joaquim na nossa banda, ô Luanda. (2x)

 

Vovó Cambinda mandou apanhar o seu coité, ela quer um pouquinho de vinho, seu cachimbo com fumo, arruda e guiné. (2x)

Eu pergunto a Vovó, é pra fazer mironga, eu pergunto a é pra demandar. (2x)

Quem pergunta quer saber, eu não sei se a vovó vai dizer. (2x)

 

Que fumaça cheirosa Vovô sai do seu cachimbo. (2x)

Não sei se é arruda vovô ou manjericão.

Só sei que esta fumaça vovô, faz bem ao meu coração. (2x)

Meu pai-velho de Angola, protetor bondoso guia. (2x)

Ele traz um patuá, com feitiço da Bahia. (2x)

 Que fumaça cheirosa Vovô sai do seu cachimbo. (2x)

Não sei se é arruda vovô ou manjericão.

Só sei que esta fumaça vovô, faz bem ao meu coração. (2x)

Enquanto a senzala dormia, sua oração fazia. (2x)

Ajoelhado pedia clemência a Jesus e a Virgem Maria. (2x)

 

Força Africana, força baiana, força divina, força do bem. (2x)

Descarrega estes filhos leva pras ondas do mar. (2x)

 

Oi quem me dera na Umbanda, vem numa gira só.

Quem me dera os Preto-velhos, vem numa gira só.

Quem me dera o Velho Congo, vem numa gira só.

Quem me dera Vovó Cambinda, vem numa gira só.    

Oi quem me dera na Umbanda, vem numa gira só.

 

Meu Velho Congo na linha de Umbanda, que banda é

Meu Velho Congo desmancha a mandinga e segura a fé. (2x)

É reré, é rerá. É reré, é rerá.

Meu Velho Congo vem sarava. (2x)

 

Mas acabou cativeiro acabou.

Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

Já fui preso na senzala, apanhei de ferro quente e subi de morro acima e tinha a perna doente.

Mas acabou cativeiro acabou. Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

Conversava com a lua e a estrela respondia, tem paciência  meu velho, cativeiro acaba um dia. Ô...

Mas acabou cativeiro acabou. Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

Eu andava sem dinheiro e não tinha paletó, toda roupa que ganhava só era farrapo só.

Mas acabou cativeiro acabou. Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

Eu cantei minha toada, o que foi meu padecer, por isso que eu tenho um conselho pra você. Ô...

Mas acabou cativeiro acabou. Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

Preto Velho hoje é chamado na casa de seu doutor. Pra beber vinhos finos e ganhar ramo de flor.

Mas acabou cativeiro acabou. Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

Negro hoje tem anel, diploma e tem galão. Na alta sociedade o branco lhe estende a mão. Ô...

Mas acabou cativeiro acabou. Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

Negro já casa com branca, por que viram seu valor e a sogra ainda diz, ele é preto só na cor.

Mas acabou cativeiro acabou. Mas acabou cativeiro acabou. (2x)

 

Dia 13 de maio, foi que houve alegria e verdade. (2x)

Dia 13 de maio meu pai, foi o dia da liberdade. (2x)

 

Numa noite linda que tinha luar, Preto Velho orou a Zambi pra cativeiro acabar. (2x)

Trabalha preto, trabalha preto. Trabalha preto cativeiro acabou. (2X)

 

Olê olelê, Umbanda cativerê. Olé olalá, Umbanda cativerá. (2x)

 

Quando os filhos choram, Velho Congo canta. Quando os filhos cantam, velho Congo ri. (2x)

Velho Congo vem, Velho Congo vem, vem pegar  mandinga de filho meu pai, porque aqui tem. (2x)

 

A quem Zambi promete tudo dá, é só ter paciência de esperar. (2x)

Oi curimba com eu, curimba (4x)


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!